Um amplo estudo neerlandês confirma que cerca de 30% de todos os idosos têm perda auditiva relacionada à idade.

É do conhecimento de muitos que a predominância de deficiência auditiva aumenta com a idade. Nossa audição diminui na medida que envelhecemos, e para muitos, isso resulta em perda auditiva relacionada à idade, conhecida também como Presbiacusia.

Quando a pessoa atinge a idade de 60 e 70 anos, é um fato de que a deficiência auditiva torna-se cada vez mais predominante. Entre 30% de todas as pessoas com essa idade afirmaram -no estudo- ter deficiência auditiva.

Predominância maior entre homens

O estudo neerlandês, Rotterdam Estudo, Rotterdam Study realizado com 4.743 mil pessoas com a idade de 50 anos, ou mais, confirmam esses dados.

O estudo revelou que entre os participantes acima de 65 anos de idade a prevalência de perda auditiva mais elevada de 35 dB (decibéis) era de 30%. A prevalência entre homens era de 33%, e entre as mulheres era quase 29%.

Segundo o estudo, 21% dos homens e 18% das mulheres tinham deficiência auditiva de 41 dB (decibéis), ou mais.

Os pesquisadores revelaram que em comparação a estudos mais antigos, sobre deficiência auditiva relacionada à idade, as mulheres tinham a audição significantemente pior que os estudos recentes. Os pesquisadores sugerem que isso pode ser explicado pelo fato de que a mulher de hoje tem um estilo de vida semelhante ao homem, algo diferente do passado.

Correlação ao estado de saúde

Um estudo americano realizado com adultos com a idade de 65 anos ou mais, investigou deficiência auditiva associada com doenças comuns, e foi revelado que deficiência auditiva estava independemente associada à doenças como artrite, doenças cardiovasculares, diabetes e pressão alta.

No estudo, fez-se uma comparação com pessoas com e sem deficiência auditiva. As pessoas, por exemplo, com deficiência auditiva eram mais propícias a serem homens, de cor branca, e que tinham outras enfermidades fora a deficiência auditiva, e eram fumantes.

Sobre o estudo

O estudo de Rotterdam, The Rotterdam study, foi realizado entre 2011 e 2015, e o artigo “Prevalence of Age-related Hearing Loss, Including Sex Differences in Older Adults in a Large Cohort Study” foi publicado na revista Laryngoscope, em março de 2017.

O estudo americano The American study foi baseado em dados da The National Health Interview Survey (NHIS) entre 2011 e 2013, e consiste em dados baseados com mais 53 mil pessoas. O estudo “Hearing loss and associated medical conditions among individuals 65 years and older” foi publicado na revista Disability and Health Journal,  em junho de 2017.

Fontes: The Laryngoscope and Disability e Health Journal

Tags:

Comentários

Atenção: Você precisa estar logado para comentar!